Outras

Mudanças da OMS na classificação de sarcomas de partes moles – O que o radiologista deve saber?

O artigo faz uma revisão sobre as principais mudanças na classificação da OMS dos sarcomas de partes moles. Este é um tema interessante para radiologistas em geral (particularmente os de abdome), uma vez que são neoplasias bastante raras de ser encontradas na prática clinica, mas, uma vez identificadas sua caracterização e definição é muito importante para o clínico.
Além de detalhar as principais mudanças na nova classificação, como a inclusão dos GIST’s (Sarcomas estromais do trato gastrointestinal) neste grupo, o texto também descreve os principais aspectos de cada lesão, não só do ponto de vista radiológico, mas também histológico, epidemiológico e até mesmo genético.
Outros pontos importantes são a exclusão de nomenclaturas indesejáveis, como Fibrohistiocitoma maligno (um termo utilizado no passado para representar lesões indiferenciadas), ou mesmo o termo hemangiopericitoma (o atual tumor fibroso solitário).
Acredito ser uma leitura interessante e importante para todos aqueles que lidam mesmo que eventualmente com estes tipos de lesões.

Autores: Baheti AD, O’Malley RB, Kim S, Keraliya AR, Tirumani SH, Ramaiya NH, Wang CL.

Referência bibliográfica: American Journal of Roentgenology. 2016 May;206(5):924–32. 

Link para o PubMed: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26998884

0 comentário em “Mudanças da OMS na classificação de sarcomas de partes moles – O que o radiologista deve saber?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: