Ultrassonografia Geral

Avaliação de lesões focais hepáticas por ultrassonografia com contraste: abordagem sistemática

A ultrassonografia sempre teve um papel de destaque na avaliação de lesões hepáticas, particularmente pela disponibilidade de técnica, ausência de radiação ionizante e mobilidade do aparelho. Recentemente, o uso de contrastes com o método tem aumentando expressivamente, particularmente com a liberação dos mesmos pelo Food and Drugs Administration (FDA), em 2016, nos Estados Unidos, o que provavelmente irá aumentar o número de publicações sobre o tema e, provavelmente, sua disseminação mundial.

Os autores do artigo descrevem um guia muito completo sobre o uso desses contrastes e sua aplicação na avaliação de lesões focais benignas e malignas, começando pelos fundamentos da técnica, uso de contrastes, tipos de lesões com criação de um algoritmo simples e correlação com os outros métodos.

Um dos aspectos que chama a atenção é que o contraste é totalmente intravascular, sem disseminação para o interstício, com potencial menor de armadilhas na caracterização de algumas lesões. Esse contraste também parece ser mais seguro para a aplicação nos pacientes em comparação a outros meios, e possibilita uma resolução temporal melhor. Destaca-se, no entanto, a dificuldade de se avaliar todo o fígado de uma só vez.

Em relação às lesões, o algoritmo descrito é simples e bastante eficaz, sendo que o clareamento/washout na fase portal é o achado mais importante na diferenciação das lesões benignas (sem washout) das malignas (com washout). Existem outras características relacionadas a melhor subtipagem das lesões, como washout mais acentuado em lesões malignas não hepatocelulares em comparação ao carcinoma hepatocelular, e presença de vasos dismórficos neste último. As lesões malignas também podem ser diferenciadas pelo método, desde o aspecto que estamos mais acostumados do hemangioma, em técnicas de RM e TC, até um realce forte centrífugo (nas hiperplasias modulares focais) e centrípeto (nos adenomas).

Concluindo, é um método que promete uma grande modificação na avaliação de pacientes com lesões focais no fígado (achado este já evidenciado pela presença de um LI-RADS® próprio), indicado principalmente para radiologistas com ênfase em ultrassonografia e também em imagem de abdome.

Autores: Burrowes DP, Medellin A, Harris AC, Milot L, Wilson SR

Referência bibliográfica: Radiographics. 2017 Sep-Oct;37(5):1388-1400

Link para o PubMed: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28705058

0 comentário em “Avaliação de lesões focais hepáticas por ultrassonografia com contraste: abordagem sistemática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: